Translate

terça-feira, 1 de novembro de 2011

O poder é seu! Procura-se uma ilusão


Eu realmente não consigo entender como tem mulheres cheias de qualidades, de fortes personalidades, que simplesmente se submetem a um carinha qualquer e jogam fora todo o seu potencial.
Antes de qualquer coisa é bom lembrar que as mulheres foram feitas para serem cabeças e não caudas, foram feitas para estarem por cima e não por baixo.
Apesar de estar já a 7 meses escrevendo sobre isso, ainda recebo vários e-mails de mulheres que se submetem as sacanagens de homens safados e sem a menor compaixão por elas. Mas querem saber de uma coisa? A culpa é delas. Fico me perguntando constantemente, o que leva uma mulher a se inclinar a um cara que não a ama? Onde está o amor próprio dessa mulher? Será que ela não sabe que merece algo melhor?
Eu poderia até dizer que realmente existem mulheres que gostam de ser maltratadas, têm uma certa queda por cafajestes, gostam de sofrer.  Mas quanto a essas eu não posso interferir, se elas gostam mesmo de sofrer então que sofram, se preferem assim, então paciência. O que não podem é ficar reclamando que o cara não presta e não ter a coragem de tomar uma atitude. Quando você está com um cara que não te valoriza, que é um tremendo cafajeste, você só tem duas escolhas. Ou você aceita e fica em paz, aprende a viver com essa situação, ou você dá um basta e toma uma atitude. Não faz sentindo você ficar a vida inteira reclamando que o cara não presta, isso todo mundo já sabe. O que as pessoas não entendem é por que você ainda continua com ele. Acaso está esperando que aconteça um milagre e ele mude?

Mulher, linda, perfeita, maravilhosa, se olhe no espelho e tente enxergar a GRANDE mulher que existe dentro de você. Não é justo que você continue dentro desse “buraco” que você entrou. Tome uma atitude, dê um basta nisso. Você PODE viver algo muito maior que essa vidinha medíocre, sendo humilhada e destratada. TODA mulher tem o direito de ser amada e respeita. Exija esse direito da vida.
Você é sublime, singular, uma vencedora. Não se coloque em segundo plano. Ocupe a posição que lhe é de direito, o topo.
Vista-se da vitória, afinal O PODER É SEU.    João Gilberto Nunes

Em minha opinião, a maioria das mulheres deveria carregar uma placa com essa frase, assim seria bem mais fácil entender o que querem. 

Caso típico:
Ela acaba de sair de uma relação conturbada, onde o cara foi terrivelmente sacana com ela. Ela está profundamente decepcionada com a raça masculina, diz que não quer ver mais um homem, nem pintado de ouro, pelo menos não tão cedo. Diz que agora vai cuidar da sua vida, da sua Carrera, vai voltar a estudar, fazer aquela pós-graduação que foi adiada etc. Diz que nunca mais vai pensar em casamento, que não vai se apaixonar mais por ninguém, que homem nenhum merece o amor dela. Que de agora em diante vai extravasar, pegar quem quiser e depois descartar, como eles fizeram esse tempo todo.

Bom, isso me parece aquela famosa frase que todos dizem na segunda-feira, quando acordam com uma puta dor de cabeça, o mundo todo girando feito um carrossel, uma náusea dos infernos e a primeira coisa que se consegue pronunciar é: “Nunca mais eu bebo”. Só que, assim como no caso da ressaca, esse “nunca” parece ter um pequeno prazo de validade.

Com o passar dos dias, ela começa a sentir a presença daquela venha companheira de desastres. A famosa “carência”. Afirmo que vocês poderiam encontrar uma desculpa melhor para entrar em mais uma roubada. É incrível como aparecem “ombros amigos” nesses momentos. Um elogio, uma massagem no ego, “ele não merecia você”, “você é muito especial para gostar de quem não gosta de você”.
Nossa! Parece que todos eles compraram um manual de instruções chamadocomo se aproximar de uma mulher vulnerável. E como eles gostam de bancar o bonzinho nessas horas, fazem toda a dramaticidade digna de um Oscar, tão perfeita quanto a de um hollywoodiano.  E logo você está pronta pra mais um gole, que sugere uma garrafa, que acaba em mais uma ressaca e outro “nunca mais eu bebo”. Bem que poderiam substituir essa frase por “Pai! Afasta de mim esse cálice”. O que acham?

Meninas, a minha intenção aqui não é julgá-las, muito menos condená-las por qualquer que sejam suas decisões. Não cabe a mim o peso do cajado. Quero apenas que façam uma analise dessas situações e comecem a se perguntar o porquê dessa necessidade de estar sempre com alguém. Será mesmo uma necessidade ou apenas um capricho? Por que tanta pressa em ocupar esse lugar que ficou vago? Não seria melhor evitar encontros quando se sabe que está vulnerável? Não seria o momento de repensar tudo que aconteceu, o que foi bom, o que foi ruim, tentar entender os por quês e decidir o que poderá ser mudado e o que deve continuar daqui pra frente?
O fim de um relacionamento é um bom momento para reflexões, para tomar decisões, para dar uma guinada na vida, se for necessário. Não é o momento de se ceder a esses “ombros amigos” oportunistas que ficam de plantão, esperando o momento de dar o bote, parecendo agentes funerários na porta do hospital à espera dos familiares desolados dos recém finados. Não se apresse a querer ajudar o destino, ele não precisa da sua ajuda. “Curta” esse momento, que apesar da dor, pode ser um momento crucial para se tomar grandes decisões e aproveitar grandes oportunidades. Afaste-se dos “agentes funerários”, eles estão em todos os lugares a espera da próxima vítima. 
http://entendoelas.blogspot.com João Gilberto Nunes