Translate

terça-feira, 25 de outubro de 2011

LIVRE ARBÍTRIO

Qual história que deixaremos escrita durante esta nossa breve jornada terrena?
Ontem brincávamos, hoje sonhamos, amanhã onde estaremos?
Existem coisas que não podemos impedir que aconteçam, mas, existem outras que absolutamente depende exclusivamente de nossas escolhas...


LEIA O TEXTO ABAIXO OU SE PREFERIR ACESSE O LINK:
http://www.slideshare.net/SAM1981/livre-arbitrio-presentation-745556

Mais um inverno se aproxima, e as aves migratórias voam em direção à temperaturas mais amenas.
Percorrem longas distâncias todos os anos, guiados pelos seus instintos, pela sua natureza.
Primavera, Verão, Outono, Inverno.
Estações que se repetem no eterno ciclo da Vida.
O inverno rigoroso deixado para trás, tendo adiante o acolhedor calor das regiões de temperatura amena.
Lá em cima o vento, o frio, os horizontes sem fim, as madrugadas e os poentes coloridos, o cansaço do bater das asas...
Voar, voar, voar...
Para enfim repousar.
Mais uma noite se inicia, e a coruja deixa a sua toca para caçar. Como os demais animais notívagos, ela troca o dia pela noite. Age assim porque simplesmente segue a sua natureza.
A planta se inclina lentamente em direção à luz do sol. Ela apenas segue a sua natureza...
Neste pequeno planeta azul, todos os seres viventes, seguem as suas vidas de acordo com suas naturezas, agindo por instinto. Dentre todos os seres viventes, apenas um, e unicamente um, foi agraciado com a capacidade de decidir os atos por conta própria.

É o livre arbítrio que nos distingue dos demais seres existentes.
Liberdade para raciocinar.
Liberdade para agir.
Liberdade para escolher que rumo queremos dar à nossa vida...

Onde estava ontem, onde me encontro hoje, onde estarei amanhã?...

A cada novo dia mais uma página que escrevemos no livro da nossa vida...
Sonhos, anseios, procuras...

Quantas maneiras haverá de ser feliz?
Quantas maneiras haverá de fazer os outros felizes?...

Os ligeiros passos da menina.
O vagaroso andar da anciã...
A distância que as separa é assaz breve,...
...o intervalo de tempo entre elas é ínfimo de tão pequeno.
Diante da eternidade, o que representam cem anos?
Um breve sopro ou menos ainda...

Qual a história que deixaremos escrito durante nossa breve jornada terrena?...
Gestos de bondade, poemas de compaixão.

Quantas maneiras haverá de ser feliz?
Quantas maneiras haverá de fazer os outros felizes?...
A vida é um sopro, um instante, um minuto...
Ontem brincávamos, hoje sonhamos, amanhã onde estaremos?
Qual o sentido da existência?
Como utilizar com sabedoria o tempo que ecoa a todo momento?...
Como fazer valer cada batida do nosso coração?...
Ensinam as tradições religiosas e espirituais que existe uma Inteligência Criativa, um Bondoso Criador, uma Mãe Protetora, que por Amor chamou tudo à existência.
E que também por Amor fez do nosso coração o Seu lar.

"Ó Filho do Homem!
Amei tua criação; por isso te criei.
Ama-Me, pois, para que Eu possa mencionar teu nome e te inundar a alma com o espírito da vida".
"Ó Filho do Ser!
Teu coração é Meu lar; santifica-o para Minha descida.
Teu espírito é a sede de Minha Revelação; purifica-o, para que nele Eu possa Me manifestar".
"Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele".

Como podemos amar a Deus? Amando o nosso semelhante.

"...aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, como pode amar a Deus a quem não vê..."

"Aquele que ama a Deus, ame também o seu irmão".

Amar os homens é amar a Deus.
Autor Desconhecido