Translate

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

RODE A BAIANA HOJE!


  • O medo não é divino e nem pode ser consagrado ou dado credito.Mas sim a vida,a coragem e a gratidão!

LIBERTE-SE!
  • Juro a mim mesmo!

  • A partir de hoje, não mais lamentarei o dia de ontem. Ele está no passado e o passado nunca mudará. Só eu posso mudar se for essa minha escolha. A partir de hoje, não mais me preocuparei com o amanhã. O amanhã sempre estará lá, esperando por mim para torná-lo o melhor possível. Mas não posso fazer o melhor pelo amanhã, sem primeiro fazer o melhor hoje.


A partir de hoje, eu olharei no espelho e verei alguém valioso e merecedor do meu respeito e admiração. Alguém com quem gosto de passar minhas horas e a quem conseguirei conhecer melhor. A partir de hoje, eu tratarei com carinho cada dia da minha vida. Eu valorizarei esse presente e o partilharei sem egoísmo com meus semelhantes.



A partir de hoje, observarei a minha caminhada e superarei desgostos se houver tropeços. Eu enfrentarei desafios com coragem e determinação. Eu superarei barreiras que tentem impedir minha busca pelo crescimento e auto melhoramento.

A partir de hoje, eu viverei a vida um dia de cada vez e dando um passo de cada vez. A partir de hoje, eu terei renovada a fé na raça humana, desprezarei o que de mal já aconteceu e passou. Eu acreditarei que há esperança de um brilhante futuro.

A partir de hoje, eu abrirei minha alma e meu coração. Darei boas-vindas a novas experiências e gostarei de conhecer novas pessoas. Eu não pretenderei ser perfeito nem exigirei que os outros o sejam, pois a perfeição absoluta não existe neste mundo.

Eu aplaudirei as tentativas de fortalecimento do lado fraco da natureza humana. A partir de hoje, eu sou o responsável pela minha felicidade e não medirei esforços para manter-me feliz.

Olharei as maravilhas da natureza, escutarei minhas canções favoritas, terei um bichinho de estimação, tomarei reconfortantes banhos e encontrarei prazer nos mais variados e simples gestos.

A partir de hoje, eu sempre aprenderei algo novo, experimentarei coisas diferentes, saborearei com gosto tudo que a vida tem para oferecer. Eu mudarei o que quiser e puder mudar. O restante deixarei simplesmente passar…

Eu agradecerei por tudo que tenho de melhor, por ser alguém que pode ser melhor, pois sei que agora isso é possível. Juro ainda sorrir e sempre estar sorrindo… A partir de hoje e para sempre.

Juro a Mim Mesmo!
  
 Texto de Silvia Schmidt


BASTE-SE!



OUSE!

EU, eu mesma!

Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo
dia eu recebo um e-mail dizendo: "olha, não dá mais".
Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo, mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo?
Liguei pra tentar conversar e terminar tudo
decentemente e ele respondeu: "mas agora eu tô  comendo um lanche
com amigos".
Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas
até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele.
Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada
ou mais inteligente, ele não volta pra mim.
Foi assim que me matriculei simultaneamente
numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema.
Nos meses que se seguiram eu me tornei dos
seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta.
E sabe o que aconteceu?
Nada, absolutamente nada, ele continuou
não lembrando que eu existia.
Aí achei que isso não podia ficar assim,
de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha
que voltar pra mim de qualquer jeito.
Decidi ser uma mulher mais feliz, afinal,
quando você é feliz com você mesma, você não põe toda a sua felicidade
no outro e tudo fica mais leve.
Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi
me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei
meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número
de leitores do meu site e nada aconteceu.
Mas eu sou taurina com ascendente em áries,
lua em gêmeos e filha única! Eu não desisto fácil assim de um amor, e então
resolvi que eu tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim
ele voltaria pra mim.
Foi então que passei 35 dias na Europa,
exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando
meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e
vivida.
Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida.
Comecei um documentário com um grande amigo,
aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia,
li mais uns 30 livros, ajudei os pobres, rezei pra Santo Antonio umas 1.000
vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e
história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas
mais lindas de Paris.
Como última cartada para ser a melhor mulher
do planeta, eu resolvi ir morar sozinha. Aluguei um apartamento charmoso,
decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom
vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que tambem finalmente aprendi
a cozinhar. Resultado disso tudo: silêncio absoluto.
O tempo passou, eu continuei acordando e
indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita
para ele, mais mulher para ele.
Até que algo sensacional aconteceu.
Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz,
tão realizada, tão mulher, que eu acabei me tornando mulher demais para
ele.
Ele quem mesmo?
Autoria: Martha Medeiro

VALORIZE-SE!



  • Em geral, a queixa de homens e mulheres "bons demais" é a seguinte: "fui muito dedicado, fiz tudo o que o outro quis e não fui reconhecido. Estou cansado de me doar completamente nos relacionamentos e sofrer. Não entendo por que as pessoas dizem que querem encontrar alguém legal e, quando encontram, simplesmente não dão valor"... e por aí segue a descrição de uma dor que é realmente dilacerante, mas cujos motivos não são bem esses relatados!

    Acontece que pessoas que se doam demais, que fazem tudo o que o outro quer são aquelas que, muito frequentemente, ainda não se deram conta da enorme importância que sua individualidade tem na relação. Ainda se equivocam ao acreditar que para serem amadas precisam ceder sempre, aceitar tudo e simplesmente se anular em função dos desejos da outra pessoa. Enganam a si mesmas acreditando que agem por amor.

    Quem nunca se coloca, quem muito pouco discorda do outro, quem quase nunca expressa uma vontade que seja adversa, não faz isso por amor e, sim, por insegurança, por medo de que o outro não tolere ser contrariado e o deixe. Ou seja, estamos falando de uma auto-estima fragilizada, que precisa ser resgatada, alimentada e, sobretudo, auto-reconhecida.

    É preciso que essas pessoas percebam que existe uma sutil diferença entre dar o melhor de si e se perder, perder sua própria referência num encontro de amor. Quem vai deixando de mostrar o que incomoda, quem vai deixando de falar sobre o que desagrada, vai se identificando e se misturando com o outro a ponto de se tornar uma espécie de reflexo dele.

    E convenhamos: se realmente fosse bom se relacionar com o reflexo da gente, casaríamos com o espelho de casa e seríamos felizes para sempre. Mas ninguém quer isso! Embora a gente procure semelhanças e gostos parecidos no ser amado, queremos e precisamos das diferenças para que o relacionamento cresça, amadureça, engrandeça os dois. Admiramos o que é diferente de nós, aquilo que pode nos transformar em alguém melhor; queremos conquistar o que nos parece um tesouro que ainda não temos.

    E veja bem: não estou falando de fazer joguinho de difícil e nem de se colocar aos gritos, impondo suas vontades. Estou falando justamente da arte de encontrar o equilíbrio. Estou falando da encantadora dança do amor, que nada mais é do que a harmonia entre avançar e recuar, com leveza, inteligência, atenção, disponibilidade e, acima de tudo, capacidade de começar de novo ao errar...



  • Resumindo: quem sempre diz "sim", vai se dar mal. E quem sempre diz "não", também. O segredo é ceder às vezes e ser mais firme em outras, mas sempre - sempre! - mostrar ao outro qual é sua vontade e ouvir qual é a dele. Assim, quando você ceder, ele poderá reconhecer para que, numa próxima ocasião onde a diferença aparecer, ele possa ceder também. E se isso não acontecer, ou seja, se um terminar cedendo sempre, que vocês possam conversar e pontuar esse desequilíbrio.

    Porque, de verdade, quem vive uma série de relacionamentos e sai delas com a sensação de quem nunca é valorizado, certamente está perdendo sua identidade, está se transformando numa companhia sem atrativos, exatamente porque decidiu (na maioria das vezes inconscientemente) ignorar seus predicados para enaltecer somente os predicados do outro. E assim, foi perdendo seu brilho, seu encanto, sua singularidade e também abandonando as características que, paradoxalmente, atraíram a pessoa amada...

    Se você tem sofrido e se sentido injustiçado por ser "bom demais" e não receber em troca nem o amor que achava que merecia por tanta compreensão e dedicação, sugiro que comece a olhar um pouco mais para si e se perguntar: "o que eu realmente quero?", mesmo que o tema seja simplesmente escolher o sabor da pizza. E especialmente quando esse desejo for importante, faça-o valer e não desista dele!

    Em qualquer relacionamento, para o sucesso ou o fracasso dele, quem você for ou quem você deixar de ser é o que mais vai fazer a diferença! E se vai dar certo ou não, uma verdade é soberana: só vai valer a pena se você tiver conseguido ser você mesmo, ao menos na maioria das vezes!

    (Rosana Braga)

    http://www.stum.com.br/conteudo/c.asp?id=10631



"Tive vontade de sentar na calçada (...) e chorar, mas preferi entrar numa livraria, comprar um caderno lindo e anotar sonhos."



(Caio Fernando Abreu)