Loading...

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

POR QUÊ VOCÊ ESTÁ TÃO TRISTE ASSIM?


Você sabe dizer quais são os motivos de sua tristeza hoje em sua vida? Se não há nenhuma e tudo está bem, permita-se ficar cada vez mais, mas se está sempre triste, chorando, lamentando-se que nada dá certo, é preciso parar e pensar o que está acontecendo

Você pode fazer uma pergunta simples: "O que se passa dentro de mim?" Com certeza a resposta não será tão simples e você poderá até fugir de ouvi-la, mas se continuar fugindo, tudo continuará como está. E até quando conseguirá suportar esta tristeza? Será que seu corpo já não está dando sinais que não está bem?

Será que não tem sentido dores pelo corpo como se tivesse passado dentro de uma máquina de moer carne? Será que não está na hora de enfrentar o que está dentro de você e responder essa pergunta com sinceridade?

A única maneira de mudar alguma situação é identificando-a e, principalmente, saber de quem depende a mudança. Algumas vezes o motivo de sua tristeza pode ser a falta de atitude de alguém. Será que você pode fazer algo ou depende apenas do outro querer ou não mudar? Você pode escolher entre esperar mais um pouco ou se afastar. Pode somar mais frustrações, insatisfações, doenças ou ir em busca do que quer para você. Ou você pode fazer algo para modificar a realidade? Se pode, o que poderá fazer efetivamente? Você só não pode se acomodar, cruzar os braços e nada fazer a não ser reclamar. Não pode também se sentir incapaz de fazer algo, colocando sua autoconfiança lá embaixo, principalmente em situações em que não há o que fazer. Em alguns momentos somos realmente impotentes perante algumas situações, nada podemos fazer. Nesses casos, o melhor mesmo é saber aceitar e não confundir impotência com falta de capacidade.

Você pode estar insatisfeito por inúmeros motivos que nem sabe quais são. O mais indicado é identificar um por um, pois só assim poderá agir. Se sua cabeça está uma confusão, tente escrever o que está sentindo, sem se preocupar com nada, apenas deixe seus sentimentos fluírem. Importante: não julgue, não critique ou justifique, apenas escreva o que sente, pois sentimento não tem certo e errado, e todo sentimento deve ser respeitado. Escreva o que tem te deixado triste. Escrever a fará reconhecer os motivos e pensar melhor o que poderá fazer. O que tem te causado tanta dor? Tanta tristeza? É algo dentro de você? Algo fora? Os dois? Será que você não está fazendo isso com você mesma ao permitir que alguém te faça sofrer tanto? Se deseja alívio do seu sofrimento comece o pensar sobre sua vida. Está como gostaria ou muito longe do que imaginou um dia viver? Qual é a distância? Será que você mantém um relacionamento que te faz sofrer por medo de ficar só?
                                                   
Será que você não está esperando o reconhecimento de alguém pelo que você faz e não ouve absolutamente nada? Ou será que não deseja receber aprovação por suas atitudes e só recebe mais críticas? Está querendo sempre agradar as pessoas, deixa suas coisas de lado, sente dificuldade em falar "não" e depois se sente sobrecarregada e injustiçada pela falta de consideração? E onde ficou a consideração por você mesma? O respeito por seus próprios sentimentos?

Algumas pessoas parecem sabotar as oportunidades de uma vida feliz, e acabam por permitirem-se fugir de suas mágoas criando defesas que em longo prazo podem fazê-las sofrer muito mais. Por que comer em excesso quando está triste, magoada? Não está na hora de pensar o que mais pode te dar prazer além de comer? A maior fonte de tristeza geralmente se encontra nos relacionamentos afetivos. São relações sem prazer e com muita subnutrição emocional. Mas será que vai adiantar devorar um pacote de bolachas? Ou uma barra de chocolate? Ou será que você se satisfaz com tão pouco? Não acredita que merece mais? É claro que merece!

É preciso antes de tudo reconhecer a existência da insatisfação em sua vida para depois buscar como agir. É preciso coragem e um elevado amor por você mesma para enfrentar cada um de seus problemas em vez de fugir deles. Ninguém pode cuidar de sua vida por você e seus problemas não vão desaparecer a menos que você decida resolvê-los. Sem esforço e compromisso com você mesma ficará cada vez mais difícil acreditar que você consegue. Deixe de lado a crença de que você não é capaz, que é fraca. Você não é! Investigue o que ocorre dentro de você e em sua vida e prepare-se para escolher um caminho de paz. É possível se quiser realmente mudar seus sentimentos, mudar sua vida. Não demore em fazer algo por você, ou irá escolher continuar como está? Quero acreditar que não!

Por:
Rosemeire Zago
Psicóloga clínica com abordagem jungiana, especialização em psicossomática. Desenvolve o autoconhecimento e ministra palestras motivacionais. Contato: (011) 9950-5095
AINDA ESTÁ TRISTE?... então leia esse outro texto:
A TRISTEZA MATA.
Saiba transformar um momento de tensão num momento de descontração
Com um rosto sorridente, o homem duplica as capacidades que possui. Um coração alegre faz tanto bem quanto os remédios; mas a tristeza mata. O povo diz sabiamente que quem canta seus males espanta.
Quando você mergulha na tristeza, não consegue subir um degrau; mas se se firma na alegria, consegue galgar montanhas.
Acho que você já ouviu a história daquele rapaz que andava triste porque não tinha sapatos, até que encontrou alguém que não tinha os pés… estancou as lágrimas no mesmo instante.
Veja o que a Palavra de Deus diz da tristeza:
“Ao justo nenhum mal pode abater, mas os maus enchem-se de tristezas” (Pr 12, 21).
“Não entregues tua alma à tristeza, não atormentes a ti mesmo em teus pensamentos” (Eclo 30,22).
“Tem compaixão de tua alma, torna-te agradável a Deus, e sê firme; concentra teu coração na santidade, e afasta a tristeza para longe de ti, pois a tristeza matou a muitos, e não há nela utilidade alguma” (Eclo 30,24-25).
“Um coração perverso é causa de tristeza, mas o homem experiente resistir-lhe-á” (Eclo 36,22).
“Pois a tristeza apressa a morte, tira o vigor, e o desgosto do coração faz inclinar a cabeça” (Eclo 38,19).
“Não entregues teu coração à tristeza, mas afasta-a e lembra-te do teu fim” (Eclo 38,21).

O remédio para a própria tristeza é procurar com presteza consolar a tristeza dos outros, e entregar a Deus a própria tristeza, na fé. Nada seca tão depressa como uma lágrima, quando enxugamos a lágrima alheia. A caridade produz a alegria; todas as pessoas e grupos que fazem o bem aos outros são alegres. A alegria não está nas coisas, mas em nós, e ela é para o corpo humano o mesmo que o sol é para as plantas. Quem está contente jamais será arruinado. A vida não aprecia aqueles que se lamentam, mas o que sorriem. A vida coloca de lado os que vivem se lamentando, reclamando e criticando… Ela ama aqueles que a amam. Nas horas difíceis ou constrangedoras, saiba vencer a tristeza e o mau humor com uma brincadeira saudável, sem ofender os outros. Certa vez, o Papa João XXIII fez uma visita a uma paróquia de Roma; e ao passar pelo povo ouviu uma senhora dizer para outra:
- Nossa, como ele é gordo! O Papa ouviu, virou-se para a mulher e disse sorrindo:
- Minha senhora, o conclave não é um concurso de beleza! E continuou a caminhada.
Um casal viajava com os filhos e, de repente, a esposa começou a se queixar para o marido:
- Você não me abraça mais; não me faz mais aqueles carinhos gostosos que fazia quando a gente viajava junto…
E foi reclamando. Muito tranquilo e sem se ofender a esposa virou para ela e disse:
- Meu bem, naquele tempo a gente não viajava de Kombi com cinco crianças brigando nos bancos de trás! E foi só risada!
Saiba transformar um momento de tensão num momento de descontração, brincando. A lamentação é uma das coisas mais tristes do relacionamento humano; nada resolve e cria um clima de pessimismo, acusação, tristeza e amargura. Estamos acostumados a reclamar das coisas que nos aborrecem, mas não vemos o lado bom que também existe em nossa vida.
São Paulo pede aos filipenses que não fiquem murmurando:
“Fazei todas as coisas sem murmurações nem críticas, a fim de serdes irrepreensíveis e inocentes, filhos de Deus íntegros no meio de uma sociedade depravada e maliciosa, onde brilhais como luzeiros no mundo” (Fl 2, 14-15).
Não fique se queixando tanto dos impostos que você paga, isso significa que você tem emprego, ou tem bens…
Não reclame da confusão que você tem de limpar após uma festa, pois isso significa que você tem amigos…
Não reclame das paredes que precisam ser pintadas, da lâmpada que precisa ser trocada, porque isso significa que você tem onde morar…
Não devo me lamentar porque eu não achei um lugar para estacionar o carro, pois isso significa que além de ter a felicidade de poder andar, tenho um carro que muitos não têm.
Não reclame da senhora que canta desafinado atrás de você, ao menos isso significa que você pode ouvir.
Não reclame do cansaço e dos músculos doloridos que você sente ao final do dia porque isso significa que você tem saúde para trabalhar…
E assim, eu e você poderíamos multiplicar esses exemplos.
Por mais difícil que esteja sua situação, tente sorrir, você verá que será mais fácil passar por mais essa prova… Se não resolver seu problema, agradeça a Deus por eles e peça coragem para enfrentá-los com dignidade.
Não estrague o seu dia. A sua irritação não solucionará problema algum… Suas contrariedades não alteram a natureza das coisas… Seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar… O seu mau humor não modifica a vida.
A sua tristeza não iluminará os caminhos. O seu desânimo não edificará a ninguém. As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você…
Se você acordou nesta manhã com mais saúde do que doença, você é mais abençoado do que um milhão que não sobreviverão neste período. Quantos por este mundo estão enfrentando os perigos das guerras, o horror das bombas, a solidão de uma prisão, ou as aflições da fome!
 Quantos não podem frequentar uma igreja sem o medo de molestamento, prisão, tortura ou morte… Quantos não têm comida em casa, roupas, uma casa para morar… Tudo isso nos faz concluir que é uma grande blasfêmia ficar reclamando da vida e da própria sorte.
 ”O que perturba os homens não são as coisas que acontecem, mas sim a opinião que eles têm delas”, disse Demócrito (461-361 a.C). Uma pedra pode ser vista de muitas maneiras, como vemos nesta conhecida mensagem:
 O distraído nela tropeçou. O bruto a usou como projétil. O empreendedor, usando-a, construiu. O camponês, cansado, dela fez assento. Para meninos, foi brinquedo. Drummond a poetizou. Já, David matou Golias. Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura. E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!
Não existe “pedra” no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu crescimento.
 Como diz o povo: se a vida lhe der um limão… faça uma limonada!
 Aprendi com o frei Pascoal, na Terra Santa: “Tudo o que nos acontece nos favorece, se a gente não se aborrece e ainda agradece!”
Professor Felipe Aquino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua mais sincera opinião.